As Melhores Exposições do Rio

Jornal do Brasil

EXTRA

GALERIA EAV – 6ª, dia 25 de março, além da abertura das exposições ‘Poética Expositiva’ e  Preto | Branco – 1963 | 1966,  serão lançados os catálogos das exposições: “Notas de um Desabamento”, de Thiago Rocha Pitta, com texto de Felipe Scovino e entrevista com o artista, além de imagens que registram a montagem da exposição ; “Entre-vistas”, com informações e imagens de obras dos 20 alunos integrantes do programa. A partir das 20h, haverá sessão especial do Cine Lage, com vídeos dos artistas que participam da mostra “Poética Expositiva”, às margens da piscina da EAV. Mais informações em ‘EM CARTAZ’ e no site.

ENCONTROS MULTISSENSORIAIS – O encontro da início a um programa de acessibilidade para pessoas com deficiência visual. Está sendo criada uma agenda de atividades regulares acessíveis a pessoas cegas, visando formação deste tipo de público. Ao reunir um grupo de pessoas cegas entre os visitantes, a idéia é estimular a experiência tátil e multissensorial. Além disso, cria-se um percurso tátil no museu. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro , Av. Infante Dom. Henrique, 85, Flamengo (2240-4944). Grátis para o deficiente visual e um acompanhante. R$ 8. Estudantes e idosos pagam meia. Sáb., 26 de março, às 15h (Os encontros acontecem no último sábado de cada mês).

Na exposição ‘Identidade’ a artista Liz explora diversos temas em suas obras

FESTIVAL PERFORMANCE ARTE BRASIL – São 43 artistas brasileiros e 16 palestrantes em uma maratona diária para discutir a arte performática. O Festival abrange quatro mostras de vídeos, uma publicação contendo textos teóricos, históricos e artísticos produzidos pelos participantes. Ocorre também um projeto museográfico assinado pela artista e arquiteta paulistana Tatiana Ferraz. Museu de Arte Moderna Rio de Janeiro, Pilotis, Jardins e Cinemateca, Av. Infante Dom Henrique, 85, Flamengo ( 2240-4944) . De 3ª, 22 de março a dom., 27 de março, das 12h às 20h. Confira aqui a programação completa.

SEMINÁRIO TERCEIRA METADE – Curadores, pesquisadores, economistas, artistas, antropólogos, escritores, debaterão, durante três dias, as relações, as formas de representação e a circulação da economia da cultura no eixo geográfico Brasil, África e Europa. Haverá tradução simultânea (português e inglês). Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Av. Infante Dom Henrique, 85, Flamengo (2240-4944). Grátis. Senhas serão distribuídas com 30 minutos de antecedência. Reserve seu lugar e confira a programação completa no site3ª, 4ª e 5ª, 29, 30 e 31 de março, às 14h. Informações sobre a exposição ‘Terceira metade’ abaixo em ‘EM CARTAZ’.

ABERTURA

BOTEQUIM – As esculturas de Gigi Manfrinato e Sandra Lee resolveram mudar de ares e buscar a saudável brisa marinha. Elas estão reunidas em um botequim pé sujo, com direito a um show de jazz. Nesse cenário, todos os tipos que normalmente compõem a fauna dos bares estão lá representados. Em um clima de bar decadente, as personagens em tamanho natural convidam o público a participar do show, elaborando, assim, um contínuo reinventar de histórias, ao tornar cada visitante também parte da obra, também artista. Espaço Cultural Eletrobras Furnas – Espaço de Convivência Herbert de Souza, Rua Real Grandeza, 219, Botafogo. 3ª a 6ª, das 14h às 18h; sáb, dom. e feriados, das 14h às 19h. Grátis. Até 15 de maio. A partir de sáb., 19 de março.

CERRADO, A MÃE D’ÁGUA – Com a curadoria de Paulo Jobim, a mostra multimídia se inicia pelo próprio galpão da exposição, onde o visitante é guiado pelas fotografias e pelas vídeo-instalações de Paulo Jobim. O Cerrado é apresentado através de um mapa e um vídeo focando aspectos do clima. Em um outro ambiente, redes e bancos apresentam um panorama de imagens do Cerrado com videos em 3 telas. Em homenagem ao cinegrafista Serginho Bernardes, são exibidos dois filmes dele com imagens do cerrado. Em uma sala anexa ao galpão, são exibidas seções contínuas de um documentário do jornalista Washington Novaes, “Cerrado Urgente”. Galpão das Artes, Rua Jardim Botânico, 1008, Jardim Botânico (2274-7012). 3ª a dom., das 10h às 17h. Grátis. Até 20 de maio. A partir 4ª, 23 de março.

DIVINO LAICO: A ESTÉTICA RELACIONAL NA ARTE COLETIVA – A artista visual Leila B. expõe a produção do Projeto Divino Laico, um  desdobramento das reflexões teóricas sobre a socialidade na arte coletiva. Utilizando a aquarela sobre tecido transparente como técnica e a linha da vida como referência temática, a obra resultante é a soma de mais de 90 trabalhos anexados nos vidros da galeria, formando um contínuo vitral colorido. Centro Cultural Paschoal Carlos Magno, Galeria Quirino Campofiorito,  Endereço: Rua Lopes Trovão, s/nº, Icaraí, Niterói ( 2610-5748). 2ª, das 13h às 17h; 3ª a 6ª, das 10h às 17h; sáb., dom. e feriados, das 10h às 15h. Grátis. Até 3 de abril. A partir de dom., 20 de março, às 10h.

A FESTA NO CÉU E AS ROSAS O artista Bernardo Ramalho expõe desenhos, esculturas, objetos e instalações inspirados nos contos folclóricos e no universo popular e lúdico. As pinturas trazem elementos singulares como texto, luz, e materiais que o artista encontra nas ruas, reinventando a maneira de se fazer arte construindo.  Na sala de entrada da galeria, um “Jardim de recepção” com uma fonte jorrando leite de rosas. A sala é iluminada pelo trabalho “Alma penada”.  Na segunda sala, Bernardo Ramalho propõe “A Festa”, um ambiente com música de Roberto Carlos, livros feitos pelo artista e a escultura “Auto-retratos em porta-retratos” formada por desenhos. A GENTIL CARIOCA, Rua Gonçalves Ledo, 17, Sobrado, Centro (222-1651). 3ª a 6ª, das 12h às 19h; sáb., das 12h às 17h. Grátis. Até 21 de maio. A partir sáb., 26 de março, das 16h às 20h.

FIRME E FORTE RECORDS – Resultado da parceria de  Ananda e Izolag,  uma baiana de 26 anos e um carioca radicado em Itacaré, ambos se utilizando da música como matéria prima inspiradora e do estêncil como principal estilo. Os trabalhos mesclam tradição brasileira com cultura alternativa, música e artes gráficas, tintas e suportes variados, mostrando a força de uma grande união entre dois artistas que trazem um acervo original e único. Homegrown, Rua Maria Quitéria, 68, sobreloja, Ipanema (2513-2160). 2ª a 6ª, das 10h às 20h; sáb., das 12h às 18h. Grátis. Até 14 de abril. A partir de 3ª, 29 de março, às 19h.

A FORMA FORJADA / ROX REZENDE – Vinte e seis  trabalhos da obra singular do artista Rogério Miranda Rezende são apresentados. São o bras realizadas em ferro cortado, batido e soldado. Suas peças são quadros/esculturas que resgatam a arte do ferro de forma contemporânea e criativa. CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Galeria 1, Av. Almirante Barroso, 25, Centro(2544-4080). 3ª a sáb., das 10h às 22h; dom., das 10h às 21h. Grátis. Até 1º de maio. A partir de 3ª, dia 29 de março.

IDENTIDADE – A mostra traz os trabalhos da artista Liz que explora em suas obras temas como religião, lembranças de infância, conflitos e sensualidade e utiliza técnicas como raspagem, cola com tinta acrílica e a aplicação de várias camadas de tintas, o que provoca dúvidas sobre o material de suporte. As obras transmitem sensações de movimento, conflito e intensidade. As cores frias, juntamente com o fundo preto e os elementos figurativos das obras, criam um choque quando analisados em conjunto. Galeria Gustavo Schnoor, Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã (2334-07280). 2ª a 6ª, das 9h às 20h. Grátis. Até 20 de abril. A partir de 4ª, 23 de março, às 18h30.

PINTO NO LIXO – Varais de obras de arte fazem parte da exposição que faz parte do coletivo ‘O estendal’. Fora das amarras das galerias, as ideias são impressas em tecidos que permitem o toque. Sem perder a individualidade dos autores, as imagens compõem um mosaico de diferentes interpretações sobre o mesmo tema proposto. O coletivo é formado pelos fotógrafos Ana Rodrigues, Daniel Chiacos, Fred Pacífico, Henrique Andrade, Karin Lerner, Kelly Lima, Silvio Moreia, Stella Mello e convidados. Veja o vídeo da exposição ‘Salve-se quem puder’ que passou pela Praça São Salvador, Laranjeiras, na Quinta da Boa Vista e São Cristovão. Largo do Machado, Catete. Grátis. Sáb., 26 de março, das 10h às 19h.

POÉTICA EXPOSITIVA – Obras de seis artistas contemporâneos que giram em torno da noção de poesia expandida. Sob a curadoria de Sonia Salcedo del Castillo, os trabalhos de Adolfo Montejo Navas, Ana Linnemann, Eduardo Coimbra, Lenora de Barros, Ricardo Aleixo e Victor Arruda relacionando arte e poesia surpreendem o público trazendo como uma sétima obra o conjunto expositivo. Cavalariças da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico ( 3257-1800) . 2ª a 5ª, das 12h às 20h; 6ª, sáb. e dom., das 10h às 17h. Grátis. Até 8 de maio. A partir de 6ª, 25 de março.

POÉTICA POP / RAYMUNDO COLARES – São 38 obras  pertencentes ao MAM–RJ, MAC Niterói e coleções particulares, mapeando a produção do artista ao longo dos anos de 1960, 1970 e 1980, através de óleos, desenhos, pinturas, serigrafias e livros/objetos.  Na exposição, seus gibis originais são apresentados em vitrines. É apresentado também um vídeo, em homenagem a Colares, com direção de Sérgio Bernardes, e uma cronologia ilustrada do artista.  CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Livraria, Av. Almirante Barroso, 25, Centro ( 2544-4080). 3ª a sáb., das 10h às 22h; dom., das 10h às 21h. Grátis. Até 15 de maio. A partir de 3ª, 29 de março.

PRETO | BRANCO – 1963 | 1966 / ROBERTO MAGALHÃES – Com 79 xilogravuras e 26 desenhos realizados entre 1963 e 196 6 – obras pouco vistas pelo público,a exposição apresenta um panorama bastante abrangente da obra gráfica do artista desse período fundamental em sua trajetória, além de serigrafias pertencentes à Coleção de gravuras da EAV. Escola de Artes Visuais do Parque Lage , Galerias 1,2 e EAV , Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico ( 3257-1800) . 2ª a 5ª, das 9h às 22h; 6ª, sáb. e dom., das 9h às 17h. Grátis. Até 22 de maio. A partir de 6ª, 25 de março.

EM CARTAZ

A CARA DO RIO 2011 – Reunindo mais de cem artistas, a exposição coletiva mostra o Rio de Janeiro através da visão da janela de cada artista participante,  exibindo aspectos positivos e negativos da nossa cidade. As imagens dos trabalhos foram feitas a partir da observação da janela de cada um, seja do carro, da casa, do avião, etc. Esculturas, pinturas, gravuras, fotografias,  retratando o carteado das praça,  o surfista da zona sul, o bairro da Tijuca, o samba, o Cristo Redentor,  etc, na visão de mais de 100 artistas plasticos. Centro Cultural dos Correios, Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro (2253-1580). 3ª a dom., das 12h às 19h. Grátis. Até 3 de abril.

DOMINGO NO PARQUE – UMA BRINCADEIRA FOTÓGRAFICA – O coletivo de fotógrafos Estendal, que tem expressões populares como temas de seus trabalhos, traz uma série de imagens que traduzem os aspectos lúdicos do tradicional Parque Shanghai, localizado na Penha, que  foi  programa referência dos cariocas em décadas passadas A mostra comemora os 20 anos do Solar Meninos de Luz, organização filantrópica que atua na área de educação nas comunidades do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo. Solar Meninos de Luz, Ladeira Saint Roman, 146, Copacabana. Diariamente, das 8h às 17h. Grátis. Até 20 de abril.

ESTANDARTES DO MUSEU HISTÓRICO DA CIDADE, REPRESENTAÇÕES DA NOSSA HISTÓRIA – A exposição é resultado de um longo processo que começou com a descoberta, há cinco anos, deste acervo pela museóloga Heloisa Helena de Queiroz, então diretora do Museu Histórico da Cidade, e sua equipe. Os últimos registros datavam da década de 50 e, segundo Heloisa Helena, acredita-se que estes estandartes, desde o final da década de 80, estavam “escondidos” no Museu. Em estado frágil, as peças passaram por dois anos de restauração. Museu da Republica, Rua do Catete, 153, Catete (3235-3693). 3ª a 6ª, das 10h às 17h; sáb., dom. e feriados, das 14h às 18h. R$6; grátis 4ª e dom. Até 30 de abril.

FORA DO PLANO TUDO É ILUSÃO / GUSTAVO SPERIDIÃO – A maior individual já feita pelo artista exibe nove pinturas em grande formato, inéditas e produzidas recentemente, com 2,12m de altura, e larguras que variam de um a seis metros. Ele pinta sobre lonas cruas ou preparadas por uma camada de verniz incolor, que prefere aplicar com pincel. Com exceção de um trabalho, que leva as cores primárias azul, vermelho e amarelo, ele sempre usa a cor preta.  Ele mostra também uma série de 21 fotografias e, no contêiner que fica no terraço da galeria, será exibido o vídeo Os Inimigos de 2008. Anita Schwartz Galeria de Arte,  Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea ( 2274-3873). 2ª a 6º, das 10h às 20h; sáb., das 12h às 18h. Grátis. Até 23 de abril.

MÁQUINAS POÉTICAS – A exposição reúne seis trabalhos de Abraham Palatnik (Natal, 19 de fevereiro de 1928), das quais duas de seu acervo particular e as demais da Coleção Gilberto Chateaubriand/MAM Rio. Os trabalhos dos artistas Adalton Fernandes Lopes (1938 – 2005), Laurentino (1937 – 2009), Nhô Caboclo (? – 1976) e Saúba (1953) pertencem ao Museu Casa do Pontal, grande parte deles raros e na reserva técnica por conta do longo restauro, realizado nos últimos nove anos.  Museu Casa do Pontal, Estrada do Pontal, 3.295, Recreio dos Bandeirantes (2490-3278). 3ª a dom., das 9h30 às 17h. R$ 10. Até 5 de junho.

MONTE RORAIMA – A MONTANHA SAGRADA – A exposição é resultado de uma viagem feita em fevereiro de 2010 até a comunidade indígena de Paraitepuy, localizada no Parque Nacional Gran Sabana, na Venezuela. Em 10 dias de trabalho, Fred Schiffer registrou o Monte Roraima em suas diversas faces e sob todos os tipos de variações climáticas que existem na região. São 27 painéis medindo entre 2,5m por 4,0m. Unigranrio, Biblioteca Euclides da Cunha, na Rua professor Jose de Souza Herdy 1160, Duque de Caxias (2672-7777). 2ª a 6ª, das 8h às 20h. Até 15 de abril.

PINTURAS / CARLOS ZÍLIO – Com curadoria de Luiz Camillo Osorio, são apresentadas nove pinturas em grande formato, em tinta esmalte sobre tela, e quatro desenhos, medindo 46 X 61 cm cada. Os desenhos e a pintura monumental “A Separação dos Continentes”, de 2010, que mede 210 X 417 cm, foram feitos especialmente para a exposição no MAM. Todos os trabalhos têm em comum a figura de um tamanduá, com a cabeça voltada para o chão, “em queda”. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Av. Infante Dom. Henrique, 85, Flamengo (2240-4944). 3ª a 6ª, das 12h às 18h; sáb., dom. e feriado, das 12h às 19h. R$8. Estudantes e idosos pagam meia. Até 10 de abril.

TERCEIRA METADE – Os artistas contemporâneos Tatiana Blass ( São Paulo, Brasil, 1979 ), Manuel Caeiro (Portugal, 1975) e Yonamine (Angola, 1975) realizam uma mostra conjunta, fotógrafos africanos na coleção ‘Gilberto Chateaubriand’ apresentam seus trabalhos e uma mostra de cinema na última semana de março. Está previsto ainda o lançamento de um livro bilíngue (português-inglês), com todas as ações do projeto. Toda a programação e informações no siteTerceira Metade , Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Av. Infante Dom. Henrique, 85, Flamengo (2240-4944). 3ª a 6ª, das 12h às 18h; sáb., dom. e feriado, das 12h às 19h. Grátis. Até 17 de abril.

THIAGO ROCHA PITTA – O artista exibe na Juventude (2006) – escultura/instalação – e O cúmplice secreto (2008), inédita no Brasil – vídeo – sendo que ambos referem-se à água, que ele transforma em arte, propondo sensações em cada um dos visitantes.  Sala A Contemporânea, Centro Cultural Banco do Brasil , Rua Primeiro de Março, 66, Centro (3808-2020). 3ª a dom., das 10h às 21h. Grátis. Até 24 de abril.

WARHOL TV – Todos os filmes e vídeos presentes na exposição vêm do acervo do Museu Andy Warhol, em Pittsburgh, EUA.  Pela primeira vez se dedica uma mostra exclusivamente a esta produção do gênio pop americano. A mostra foi realizada em 2009 e em 2010, com enorme sucesso, em Paris e Lisboa. A Zadig!, que trouxe ao Brasil a exposição de Yves Saint-Laurent, é responsável pelo projeto. Oi Futuro Flamengo, Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo (3131-3060). 3ª a dom., das 11h às 20h. Grátis. Até 3 de abril.

ÚLTIMOS DIAS

CLAUDIO DUARTE / ARQUITETANDO ARTE – U ma série de ilustrações feitas pelo artista para a revista do Crea-RJ desde 2009, são expostos em colunas e painéis, dando a sensação aos visitantes de que o ambiente foi envelopado pelas imagens.  Centro de Cultura e Memória, Rua Buenos Aires, 40, 2º andar, Centro (2179-2634). 2ª A 6ª, das 13h às 18h. Grátis. Até 25 de março.

CONTRASTES URBANOS – A  exposição fotográfica com imagens captadas pela jornalista Danielle Araujo traz um  acervo que faz parte do trabalho que Danielle Araujo apresenta no livro Contrastes Urbanos – A desigualdade social através da arquitetura do Rio de Janeiro, que a então estudante de jornalismo da Faculdade Pinheiro Guimarães fez para seu Trabalho de Conclusão de Curso. Na pesquisa e no resultado final das fotos é feito um recorte no bairro do Centro e adjacências. Câmara Municipal do Rio de Janeiro, Praça Floriano, Cinelândia. 2ª a 6ª, das 9h às 20h. Grátis. Até 31 de março.

CONVER_SAÇÕES – A exposição propõe o trabalho colaborativo, a importância da conversa e da troca. Doze artistas se juntaram em duplas para explorar suas experiências e questionar o que é arte e quais são as práticas artísticas visuais contemporâneas. Analu Cunha com Buno di Lullo, Beatriz Pimenta com Chrsitina Bocayuva, Luciano Vinhosa com Jacqueline Belotti, Bete Esteves com Simone Cupello, Leonardo Ventapane e Ana Teresa Prado com Sladjan Nedejkovic participaram da experiência. Baukurs Cultural, 1º andar, Rua Goethe, 15, Botafogo (2530-4847). Grátis. Até 31 de março.

O MUNDO MÁGICO DE ESCHER – Dez instalações pedem a participação do visitante para “desvendar” manobras gráficas da produção de Escher. Há também um documentário realizado pela TV holandesa e uma animação em 3D, com sessões a cada 30 minutos. Suas gravuras instigantes têm formas entrecruzadas, criaturas em transformação e arquiteturas impossíveis para desafiar a percepção do espectador da realidade. O CCBB RJ estende seu horário até meia-noite, nos dias 25, 26 e 27 de março.  Nestes três dias, das 20 às 24h, os DJs Marcelo MDM e Guilherme Portes “tocam” MPB em batidas eletrônicas. O café do foyer e a livraria da Travessa também funcionam até meia-noite neste fim de semana. Centro Cultural Banco do Brasil, Rua Primeiro de Março, 66, Centro (3808-2020). 3ª a dom., das 9h às 21h. Grátis. Até 27 de março.

RONALDO ARAÚJO / CRIANÇA IN DEFESA – O artista chama a atenção, em 22 quadros, para a série de questões que estão vinculadas às crianças em telas delicadas, abordando o universo infantil.  Centro de Cultura e Memória, Rua Buenos Aires , 40, 2º andar, Centro  (2179-2634). 2ª a 6ª, d as 13h às 18h. Grátis.Até 25 de março.

ZECA: 60 ANOS DE CUÍCA – A mostra reúne imagens fotográficas da carreira e da vida de José de Oliveira, o Zeca da Cuíca, funcionário da Comlurb que acompanhou grandes nomes da música popular brasileira. O espaço conta também com a transmissão de imagens e entrevistas, um estande interativo para o público tocar cuíca, além da exposição de troféus e medalhas do instrumentista. Na noite de abertura, Zeca se apresentará numa animada roda de samba. Galpão das Artes Urbanas Helio G. Pellegrino, Rua Padre Leonel Franca s/n, Gávea (2249-2286). 2ª a 6ª, das 10h às 17h. Grátis. Até 31 de março.

Sobre maniamuseu

Maníaco por museus de todo mundo. Eles trazem a história, o futuro, o diferente e a cultura. Entretenimento e educação. Viaje em maniamuseu.
Esse post foi publicado em Eventos, Museus das Américas, Museus do Brasil e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s