Conheça Edíria a Artista

Nova exposição de Edíria Carneiro homenageia as mulheres

A artista plástica Edíria Carneiro inaugura nova exposição no hall de entrada da sede do Comitê Central do PCdoB, no centro de São Paulo, na próxima sexta-feira (18), às 18h30. Com dez telas pintadas à óleo, sob o título “As Excluídas”, Edíria faz sua homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no último 8 de março. A exposição está sendo produzida com o apoio da Fundação Maurício Grabois e da União Brasileira de Mulheres (UBM).

Por Mazé Leite*

Nascida em Salvador, Bahia, Edíra tem uma longa trajetória nas artes plásticas brasileira. Desde a Escola de Belas Artes da Bahia, na década de 1930, ela passou por diversas fases em sua carreira artística, como pintora, mas também como ilustradora e gravadora, tendo inclusive estudado em Paris, França, onde morou por quatro anos.

Em sua trajetória como artista, Edíria fez parte do Núcleo de Gravadores de São Paulo desde sua fundação, na década de 60, e expôs, entre outros lugares, na II Bienal de Artes Plásticas de Salvador, na Bienal de Artes de Santos (década de 70), nas X e XI Bienais Internacionais de São Paulo (1969 e 1971), no Salão Paulista de Arte Moderna (de 1963 a 1968), no Salão Paulista de Arte Contemporânea (1969 a 1974), no Memorial da América Latina, em São Paulo (2005), na Câmara Federal de Brasília (2006). Recentemente fez uma exposição de Gravuras, também na sede do PCdoB.

No exterior, expôs na Associação Brasil-Estados Unidos, em Washington, EUA (1961); no Salon d’Automne, em Paris, França (de 1977 a 1981); no Musée des Beaux Arts de Caen, França (1981); no Salon des Artistes Françaises, em Paris (de 1977 a 1981); no Salon Internacional del Grabado, em Madri, Espanha (de 1977 a 1981); na Feira Internacional de Arte de Paris (1986); no Museu de Arte Colonial, a convite do Centro Wilfredo Lam, em Havana, Cuba (1991); na Bienal de Gravura de Taiwan, China (1991) e na Mostra Internacional de Minigrabados em Madri, Espanha (de 1994 a 1998).

Ela possui obras nos acervos dos seguintes museus: Museu de Arte Moderna de São Paulo; Museu de Arte Moderna de Skoplje, Macedônia, antiga Iugoslávia; Museu del Grabado de Buenos Aires, Argentina; no Cabinet d’Estampes de la Bibliothèque National de Paris, França e na Prefeitura de Porto Alegre, RS.

Além de artista plástica, Edíria Carneiro tem uma longa história de militância no Partido Comunista do Brasil, desde a década de 1940. Foi casada com o líder comunista João Amazonas, com quem teve três filhos.

*Artista plástica, formada em Letras-USP, membro da coordenação nacional do Coletivo de Cultura do PCdoB

Sobre maniamuseu

Maníaco por museus de todo mundo. Eles trazem a história, o futuro, o diferente e a cultura. Entretenimento e educação. Viaje em maniamuseu.
Esse post foi publicado em Arte Comunicação&Design, Arte Contemporânea, Museus das Américas, Museus do Brasil e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s