Restauro em Museus

Museu Imperial recebe técnicos para palestra sobre restauro


 

Nesta segunda-feira, dia 14, o Museu Imperial recebeu equipes de técnicos de diversas instituições para uma palestra sobre o restauro do pórtico de pedra do palácio. A intervenção durou cerca de três meses e corrigiu diversos problemas que vinham se acumulando com o tempo, como manchas, desgastes e fissuras.

 

A palestra foi proferida pela arquiteta Elke Medeiros, da empresa Atelier Histórica Arquitetura e Restauração, vencedora da licitação e responsável pela intervenção. Estiveram presentes técnicos da área de restauração do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC), além de funcionários do próprio Museu Imperial.

 

Dando início ao evento, o diretor do Museu, Maurício Vicente Ferreira Júnior, destacou que o processo de restauro não se restringe à execução da obra. “Primeiro, foi feito um diagnóstico minucioso, no qual foram apontadas todas as informações sobre a degradação física do pórtico. Em seguida, foi elaborado um projeto pela empresa e realizada a intervenção em si. Por último, há a preparação da equipe para a preservação desse bem, que é o que estamos fazendo hoje”.

 

O arquiteto e coordenador técnico do Museu, Fernando Barbosa, responsável pelo acompanhamento das obras, também destacou a importância da preservação. “Queremos assegurar sempre essa conservação para evitar intervenções inadequadas que possam prejudicar a estrutura”, afirmou, acrescentando que a empresa deixará um caderno técnico com orientações para o Museu.

 

Elke Medeiros apresentou um breve mapeamento dos danos encontrados no pórtico, tais como crostas negras, presença de liquens, vegetação e fungos, desgastes, partes faltantes, fissuras etc. “Além disso, havia muitos rejuntes em cimento. Tivemos que retirar todos e acrescentar novos, feitos com pasta de cal e pó de pedra, que não agridem o granito do pórtico”, completou.

 

Segundo a arquiteta, os cachepots (vasos) foram alguns dos trechos mais problemáticos, pois se encontravam bastante deteriorados. Esses elementos passaram por limpeza, reconstituição de fissuras e troca de hastes internas de ferro, que estavam oxidadas por aço inoxidável. Também foi refeita a pintura do teto e recompostos os degraus da escadaria.

 

SERVIÇOS

 

Museu Imperial

Endereço: Rua da Imperatriz, 220 – Centro – Petrópolis, RJ

Tel.: (24) 2245-5550 / 2245-5560

Visitação: de terça a domingo, das 11h às 18h

 

Preços:

Adultos: R$ 8,00

Estudantes, professores e maiores de 60 anos: R$ 4,00

Menores de 7 anos e maiores de 80: gratuito

Moradores de Petrópolis às quartas-feiras e último domingo do mês: gratuito

Sobre maniamuseu

Maníaco por museus de todo mundo. Eles trazem a história, o futuro, o diferente e a cultura. Entretenimento e educação. Viaje em maniamuseu.
Esse post foi publicado em Museus das Américas, Museus do Brasil. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s