História Riograndense – Museu Júlio de Castilhos

O Museu Julio de Castilhos é a mais antiga Instituição de Memória do Estado do RS e o 5º mais antigo Museu do país. A sua criação, em 1903, representou o passo inaugural dado pelo governo do Estado no sentido de criar a primeira estrutura responsável pela afirmação da memória Rio-grandense. Conheça as suas exposições permanentes:

  • Gabinete Julio de Castilhos
  • Quarto Julio de Castilhos
  • Revolução Farroupilha
    Revolução Farroupilha
    Neste espaço, localizado no andar térreo do prédio anexo do Museu, estão expostos objetos de uso pessoal do líder farroupilha Bento Gonçalves, armas e fardamentos, além de quadros, em óleo sobre tela, retratando a revolta contra o governo imperial. A mostra é separada em módulos temáticos, enfocando diferentes aspectos da Revolução. O objetivo da exposição é estimular o debate sobre o alcance histórico e o caráter separatista ou nacionalista da Revolução Farroupilha.

  • Escravatura
  • Sala Indígena
  • Sala Missioneira
  • Acervo

    Composto por cerca de dez mil peças, o acervo do Museu Julio de Castilhos é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Ele é dividido nas seguintes catalogações: armaria, arquitetura, arreios, arte náutica, bandeiras, bibliografia, condecorações, documentos, escravatura, etnologia, filatelia, heráldica, iconografia, indumentária, instrumentos musicais, instrumentos de trabalho, máquinas, medalhas, missões, mobiliário, numismática, objetos decorativos, objetos de uso pessoal, regionalismo, sigilografia, tesserologia, utensílios domésticos e viaturas.

    Doação de acervo

    O Museu Julio de Castilhos coleta, conserva, pesquisa e expõe o seu acervo, a fim de oferecer aos usuários o conhecimento histórico contado por meio dos objetos e documentos. É a partir da coleção de objetos que se desdobram as demais prestações de serviços oferecidas à comunidade.

    A política de aquisição de acervo do Museu Julio de Castilhos está voltada para três vertentes:

    Cotidiano e sociedade: Os objetos não possuem somente uma função utilitária, mas também podem servir para estabelecer critérios de classificação social.

    Trabalho: Materializado em objetos que nos permitem vê-los como vetor das relações sociais neles embutidos e das divisões técnicas e sociais de uma sociedade. Representa diversas tecnologias usadas nas comunidades formadoras do estado nos diversos períodos históricos.

    História: Reforça a atuação da instituição como museu histórico do Estado, reunindo objetos e iconografia relativos à história do Rio Grande do Sul.

    Atualmente, a única forma de aquisição de acervo, dentro da política acima mencionada, é através de doações.

    Museu Julio de Castilhos – Órgão da Secretaria de Estado da Cultura
    Rua Duque de Caxias, 1205 e 1231
    Centro – Porto Alegre – RS – Telefone/Fax:(51) 3221.3959

    Sobre maniamuseu

    Maníaco por museus de todo mundo. Eles trazem a história, o futuro, o diferente e a cultura. Entretenimento e educação. Viaje em maniamuseu.
    Esse post foi publicado em História, História & Arqueologia, Museus das Américas, Museus do Brasil e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

    Deixe uma resposta

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s