Museu Guardas – projeto inovador

Museu Guardas, projeto do Museu Mineiro é selecionado.

Congadeiros “passeiam” sobre o texto de Guimarães Rosa –  Proposição de título  “Por Fundo de Todos os Matos” –  escrita de areia de nomes de plantas  do cerrado – Intervenção proposta pela artista Liliane Dardot para festejar o centenário do escritor e os 50 anos da edição da obra “Grande Sertão – Veredas”

O Projeto “O Museu Guardas”, desenvolvido pelo Museu Mineiro, ligado à Superintendência de Museus da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais foi selecionado entre os finalistas do Prêmio Cultura Viva promovido pelo Ministério da Cultura (Minc). No dia 5 de novembro, uma comissão de Técnicos do Projeto Cultura Viva virá a Belo Horizonte para conhecer o Museu Mineiro. Na ocasião estarão presentes também representantes da área cultural e da comunidade de congadeiros que estiveram envolvidos com o Projeto “O Museu Guardas” desde a sua criação. 

 

Segundo Francisco Magalhães, diretor do Museu Mineiro, o projeto ”permite o encontro e o diálogo entre a instituição e as diversas faces da cultura reafirmando o Museu Mineiro como um território de contato entre culturas. 

 

“Independentemente da premiação final, essa colocação já é uma posição importante, pois dará ao Guardas o selo do Programa Cultura Viva”, explica Magalhães, ressaltando que o projeto concorreu com outros 1.794 de todo o Brasil. 

 

O que é o Projeto “O Museu Guardas”
O Projeto “O Museu Guardas” realiza a visitação de Grupos de Congadeiros ao acervo exposto do Museu Mineiro, em Belo Horizonte. É como um encontro entre a entidade pública, o Museu, unidade de preservação e memória responsável pela “guarda” do objeto material – estético e histórico-, com indivíduos responsáveis pela “guarda” do objeto imaterial, característica que envolve objetos preservados e expostos pelo Museu. 

 

No projeto cria-se interface entre as artes: a dança, as artes visuais e a música, possibilitando um ambiente no qual o aspecto sagrado da arte é recuperado e os aspectos intangíveis da cultura se apresentam como parte do acervo operacional do Museu. Na festa, a obra “adormecida”, “acorda”, “revive” ao som dos batuques e cantos entoados. 

 

Desde sua criação, em 2006, “O Museu Guardas” realizou 21 encontros com visitação de 49 Grupos de Congadeiros ao Museu Mineiro. Em 2009 o Museu Mineiro realizou ações externas e levou “O Museu Guardas” nas mostras do Projeto “Vitrines Itinerantes” às cidades de Cordisburgo e de Sete Lagoas. O projeto contou com o apoio de 98 colaboradores. Entre 2006 a 2008, “O Museu Guardas” recebeu 5.227 participantes presenciais.

 

fonte:

Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais – SEC.

Sobre maniamuseu

Maníaco por museus de todo mundo. Eles trazem a história, o futuro, o diferente e a cultura. Entretenimento e educação. Viaje em maniamuseu.
Esse post foi publicado em Museus das Américas, Museus do Brasil e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s