Museu da Vida

O que é o Museu da Vida?

Espaço de integração entre ciência, cultura e sociedade, o Museu da Vida tem por objetivo informar e educar em ciência, saúde e tecnologia de forma lúdica e criativa, através de exposições permanentes, atividades interativas, multimídias, teatro, vídeo e laboratórios.

Por ser vinculado à Fundação Oswaldo Cruz, o Museu assume características únicas, refletindo a cultura, a missão e o compromisso social da instituição. Seus temas centrais são a vida enquanto objeto do conhecimento, saúde como qualidade de vida e a intervenção do homem sobre a vida.

Além disso, por se situar no campus da Fiocruz, uma imensa área verde em meio a uma região densamente habitada, abrigando comunidades carentes e um grande número de escolas públicas, funciona como um pólo de lazer, cultura e educação em Ciência e Saúde.

Uma iniciativa da Casa de Oswaldo Cruz, o Museu visa proporcionar à população a compreensão do processo e dos progressos científicos e de seu impacto no cotidiano, ampliando sua participação em questões ligadas à Saúde e a C&T.

Acervo

 Peça do acervo: aparelho de transfusão 

Peça do acervo: aparelho de transfusão

A conservação, a preservação, o armazenamento e a administração do acervo histórico e técnico sob guarda do Museu ficam a cargo da Reserva Técnica, idealizada em 1995 como uma das áreas do então chamado Projeto Espaço Museu da Vida (que respaldou à inauguração do Museu em 1999).

O trabalho de coleta e preservação das peças começou na década de 1970. Atualmente, cerca de 2.100 itens compõem o acervo, que inclui objetos pessoais de pesquisadores do antigo Instituto Oswaldo Cruz e da atual Fundação Oswaldo Cruz, além de material de laboratório e de precisão, material relacionado à produção de medicamentos e vacinas, equipamentos médicos, entre outros itens.

O acervo, que se relaciona intimamente com os demais conjuntos documentais – arquivos textuais e iconográficos – da Casa de Oswaldo Cruz, permite ampliar nossa compreensão sobre o desenvolvimento histórico da ciência em nosso país.

Parque da Ciência

 

Escalar uma célula gigante? Criar luz sem energia elétrica? Entender o funcionamento do olho humano? Tudo isso é possível no Parque da Ciência, que conta com cerca de  2400 metros quadrados de área aberta e uma parte coberta – a pirâmide – para atividades complementares. As instalações do Parque estão organizadas em três temas principais: Energia, Comunicação e Organização da Vida.

No ambiente Energia, o visitante tem contato com equipamentos que demonstram ou permitem observar as transformações energéticas que a humanidade tem aprendido a controlar. Aparelhos como aquecedor solar, espelho parabólico e pilha humana criam espaço para a discussão sobre a eficiência, a economia e a ecologia das diferentes tecnologias de transformação e aproveitamento de energia.

A área destinada à Comunicação reúne equipamentos que permitem observar as várias propriedades das linguagens escrita e sonora, além de discutir a importância das duas para os seres vivos. Atrações como o Jardim dos Códigos – que conta a história da escrita e da matemática desde as pinturas de cavernas pré-históricas até a atualidade –, os Espelhos Sonoros e os Tubos Musicais proporcionam um ambiente interativo e divertido.

Por fim, o ambiente Organização da Vida inclui equipamentos interativos, painéis e modelos tridimensionais que mostram as relações entre os mundos macroscópico e microscópico. Alguns destaques são o modelo de célula animal gigante e as esculturas que mostram como funcionam a fala e a audição.

Ciência em Cena

A ciência também pode subir no palco! Sob as luzes do Ciência em Cena, espetáculos teatrais inspiram discussões sobre temas científicos históricos e da atualidade.

Em uma tenda com 120 lugares, os visitantes podem assistir a peças como “Lição de Botânica”, de Machado de Assis – sobre a relação entre os cientistas, a ciência e os sentimentos –, ou “Mistério do Barbeiro”, inspirada na obra de Antônio Carlos Soares, que narra a vida e obra do cientista Carlos Chagas.

O espaço conta também com os Laboratórios de Percepção – uma parceria com a Fundação Vitae – onde o visitante pode explorar a percepção por meio de recursos como painéis interativos e instrumentos ópticos. As atividades apresentam conteúdos de física e biologia, discutindo sua relação com a cultura, as emoções e o processo de aprendizado.

Lição de Botânica
Ambientada no Rio de Janeiro do início do século XX, a peça conta a história do Barão Sigismundo de Kernoberg, um cientista que, ao tentar impedir que o sobrinho se case, acaba se apaixonando.
Terças, quartas e quintas-feiras,  às 10:30h e 13:30h – apresentações com agendamento prévio
Último sábado do mês, às 14:00h
Público-alvo: a partir dos 11 anos

Laboratórios de Percepção
Uma viagem pelos sentidos humanos
De terça a sexta, das 9h às 16:30h – Visitas com agendamento prévio
Sábados, das 10h às 16h – Visitação livre
Público-alvo: a partir dos 11 anos
Duração da visita: 1:30h

 

Biodescoberta

Peixes, aranhas, cobras e outros animais vivos podem ser observados neste espaço, que se dedica ao conhecimento científico sobre a vida. Situada num dos prédios históricos do campus da Fiocruz – a Cavalariça, construída em 1904 –, a Biodescoberta conta, ainda, com painéis e jogos interativos, observações ao microscópio, jogos multimídia e vídeos.

O espaço é composto por nove módulos interativos que abordam temas como a diversidade da vida no planeta, observação de animais da fauna brasileira – incluindo insetos transmissores de doenças –, evolução – com réplicas de fósseis e répteis alados do período jurássico –, classificação biológica, vida microscópica, células, genética e diversidade humana.

Estrutura

Museu da Vida

Coordenação
Chefe de Departamento: Luisa Medeiros Massarani
Secretária: Lucia Alves

Coordenações setoriais

Serviço de Design e Produtos de Divulgação Científica
Fábio Castro Gouveia

Serviço de Educação em Ciências e Saúde
Vânia Rocha

Serviço de Museologia
Eloísa Ramos Sousa

Exposições
Reserva Técnica

Serviço de Visitação e Atendimento ao Público
Rosicler Neves

Centro de Recepção
Biodescoberta
Ciência em Cena
Parque da Ciência
Passado e Presente

Núcleo de Estudos da Divulgação Científica
Luisa Massarani

Núcleo de Estudos de Público e de Avaliação em Museus
Sonia Mano

Seção Ciência Móvel
José Ribamar Ferreira

Seção de Operações Técnicas
Fabiola Mayrink

Sobre maniamuseu

Maníaco por museus de todo mundo. Eles trazem a história, o futuro, o diferente e a cultura. Entretenimento e educação. Viaje em maniamuseu.
Esse post foi publicado em Ciência & Tecnologia, Museus do Brasil e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s