Museu Histórico Nacional – Brasil

Conheça o Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro. Em tempos de literatura de 1808 e 1822

ARQUITETURA E HISTÓRIA
A partir do Forte de Santiago, na Ponta do Calabouço, a evolução do conjunto arquitetônico do Museu acompanhou a trajetória urbana da cidade do Rio de Janeiro. À fortificação inicial veio se juntar a Casa do Trem, destinada à guarda do “trem de artilharia”, conjunto de apetrechos bélicos usados na defesa da cidade, e, mais tarde, o Arsenal de Guerra.
No início do século XX o Arsenal é transferido para a Ponta do Caju, abrindo o caminho para a adaptação do conjunto para suas novas funções : Pavilhão das Grandes Indústrias da “Exposição Internacional de 1922”.
Por determinação do Presidente Epitácio Pessoa, o Pavilhão abrigou, em duas de suas salas, o núcleo inicial do Museu Histórico Nacional. Com o encerramento da Exposição, o Museu veio ocupando progressivamente toda a área.
Visando recuperar a arquitetura original, ampliar espaços destinados ao público, aprimorar os serviços oferecidos aos visitantes, democratizar o acesso dos mais diversos segmentos da sociedade e viabilizar uma circulação e um percurso adequados ao discurso museográfico, o conjunto arquitetônico que abriga o Museu passou, entre 2003 e 2006, por importantes obras de restauração e modernização. Conheça o projeto.

FORTE DE SANTIAGO

Mapa 1624
CASA DO TREM

Planta 1770
EXPOSIÇÃO DE 1922

Foto 1922
O MUSEU

Foto 1922
EXPOSIÇÕES DE LONGA DURAÇÃO
No âmbito do Projeto de Restauração e Modernização do Museu Histórico Nacional foi iniciado o processo de revitalização do circuito de exposição de longa duração, previsto para ocupar o segundo pavimento do conjunto arquitetônico que abriga o Museu.
Dessa forma, o pavimento térreo passa a concentrar serviços (auditório, loja, café ) e exposições temporárias.
A única exposição de longa duração a permanecer no pavimento térreo é a referente aos meios de transporte, “Do Móvel ao Automóvel – Transitando pela História”, devido às dimensões do acervo. Ainda no térreo, no Hall dos Arcazes, estão expostas pinturas cusquenhas.
No segundo pavimento da Casa do Trem, encontram-se as exposições de numismática “As Moedas Contam a História” e “Coleções de Moedas, Uma Outra História”.
No antigo Arsenal de Guerra, inicia-se a visitação ao segundo andar através das escadas rolantes, situadas ao lado da Recepção. Após assistir ao multivisão sobre a trajetória do Museu Histórico Nacional, o visitante ingressa na exposição “Oreretama” e e a seguir tem acesso à exposição “Portugueses no Mundo”. Em breve serão abertas novas galerias de exposição de longa duração.



Oreretama


Farmácia Teixeira Novaes


Pátio dos Canhões


Portugueses no Mundo


As Moedas Contam a História


“Coleções de Moedas, Uma Outra História”


Do Móvel ao Automóvel: Transitando pela História


Hall do Arcazes
Galeria BankBoston
GALERIA VIRTUAL
Com o objetivo de oferecer cada vez mais ao nosso visitante a oportunidade de conhecer o vasto acervo do Museu, criamos a Galeria Virtual, a qual serão sempre acrescentados novos itens, nos quais os objetos tridimensionais, numismáticos, arquivísticos ou bibliográficos serão selecionados segundo categorias, materiais ou temas.


A SEDUÇÃO DO ORIENTE
Entre as peças de seu acervo, o MHN possui preciosa coleção de arte asiática e de objetos criados sob a inspiração do Oriente. Conheça alguns objetos dessa coleção.

MUSEU HISTÓRICO NACIONAL PINTURAS HISTÓRICAS
O conjunto arquitônico que abriga o Museu Histórico Nacional é um dos mais significativos da cidade do Rio de Janeiro e sua origem remonta ao século XVII. Nessa galeria virtual estão reunidas fotografias do Museu, em sua maioria recentes, que revelam a beleza de sua fachada e de seus pitorescos pátios internos.
Entre as pinturas que fazem parte do acervo do Museu Histórico Nacional, é possível destacar telas que ilustram aspectos da história do Brasil. Conheça essas obras, algumas ícones de nossa história.

NUMISMÁTICA ARMAS QUE NÃO FAZEM GUERRA
A coleção de numismática do Museu Histórico Nacional, que inclui moedas, cédulas, vales, ações, selos postais, apólices, cartões telefônicos e outros objetos pecuniários, além de condecorações, é a maior da América Latina e uma das mais importantes do mundo. Conheça um pouco mais dessa coleção.
Ligada às origens da própria Instituição, a coleção de armaria é uma das mais completas do Museu Histórico Nacional, oferecendo um panorama da evolução do armamento nos séculos XVIII e XIX. Incorporados ao acervo do Museu, esses objetos relacionados à caça, ao esporte, aos conflitos militares e à proteção pessoal são documentos importantes, que auxiliam na compreensão das origens, dos materiais, do desenvolvimento tecnológico e do papel das armas na vida em sociedade.

MOBILIÁRIO ARQUIVO HISTÓRICO
É extenso o acervo de mobiliário do Museu Histórico Nacional. Destacam-se grandes categorias, a saber: peças de uso doméstico, de uso público, onde aparecem objetos que simbolizam o poder, e os de uso religioso. Conheça um pouco dessa coleção.
O Arquivo Histórico preserva cerca de 50 mil documentos iconográficos e manuscritos, entre os quais aquarelas, desenhos, gravuras, partituras, fotografias e correspondências. Conheça um pouco mais desse importante acervo sob a guarda do Arquivo Histórico, que pode ser consultado mediante agendamento prévio.

BRINQUEDOS ESCULTURAS
Conheça parte da coleção de brinquedos do Museu, integrada por mais de 300 itens. A partir de 1997, o MHN intensificou, segundo recomendação da Política de Aquisição de Acervo, a coleta e preservação de brinquedos, visando abrir espaço para a representação da criança em seu acervo.
A escultura constitui importante parcela do acervo do MHN. Essa coleção pode ser dividida em dois grandes grupos: a escultura profana e a religiosa. O primeiro grupo engloba todos os itens não usados para fins devocionais, e nele, dado o caráter do Museu, são abundantes os personagens históricos e as alegorias. Entretanto, também podem ser encontrados alguns exemplares voltados para temas mitológicos, estatuetas decorativas e tipos urbanos brasileiros.

AGENDA INTERNACIONAL DE MUSEUS DO MÓVEL AO AUTOMÓVEL
O MHN na Agenda Internacional de Museus. Desde 1990, o Museu Histórico Nacional vem, regularmente, representando o Brasil na Agenda Internacional de Museus, edição inglesa do Museums & Galleries Marketing Limited em parceria com o ICOM.
Conheça a coleção de veículos de transporte terrestre pertencente ao acervo do MHN e que integra a exposição permanente “Do Móvel ao Automóvel – Transitando pela História”.

MOEDAS PORTUGUESAS EM CARTÕES TELEFÔNICOS O MHN EM CARTÕES TELEFÔNICOS
Parte da coleção do Museu Histórico Nacional referente às moedas portuguesas da época dos descobrimentos foi registrada em cartões telefônicos veiculados em todo o país, através de uma parceria com a Telebrás e a Telemar.
Peças do acervo do Museu Histórico Nacional assim como parte do conjunto arquitetônico que abriga a instituição foram registradas em cartões telefônicos veiculados em todo o país, através de uma parceria com a Telebrás e a Telemar.

“DO MÓVEL AO AUTOMÓVEL:
A COLEÇÃO DO MHN EM CARTÕES TELEFÔNICOS”
“PEDRO I EM CARTÕES TELEFÔNICOS”
Parte da coleção de veículos de transporte terrestre de tração humana e animal, assim como o automóvel Protos, pertencentes ao acervo do Museu Histórico Nacional, foram registrados em cartões telefônicos veiculados em todo o país, através de uma parceria com a Telebrás e a Telemar.
Parte da coleção do Museu Histórico Nacional referente ao Imperador D. Pedro foi registrada em cartões telefônicos veiculados em todo o país, através de uma parceria com a Telebrás e a Telemar.

RETRATOS – MEMÓRIAS COMPARTILHADAS UNIFORMES E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO
Do auto retrato de Rodolfo de Amoedo às máscaras mortuárias, dos retratos oficiais aos de família, dos grandes personagens aos anônimos, os homens, as mulheres e as crianças documentados nos retratos apresentados nessa exposição prolongaram a sua existência além da morte, garantindo a futura memória e o ingresso na história.
Objetos, equipamentos e uniformes usados pelo homem em suas atividades produtivas cotidianas integram o acervo do Museu Histórico Nacional. Essa coleção referente ao “trabalho” foi expandida em 2002, através de uma campanha para recolher uniformes e trajes representativos dos segmentos que atuam na prestação de serviços essenciais à população, além daqueles envolvidos em atividades industriais, de lazer e esportivas. Conheça parte dessa coleção. Fotos: Norma Portugal (uniformes) e Rômulo Fialdini/Livro MHN/Banco Safra

UMA BRISA NO AR POR FALAR EM MODA…
Conheça parte da coleção de leques do Museu Histórico Nacional. São belíssimas e encantadoras peças de diferentes materiais e técnicas, que retratam cenas mitológicas, campestres e momentos históricos e sociais, entre outros temas.
Abrangendo exemplares do século XIX ao XXI, a coleção de indumentária do Museu Histórico Nacional é uma das mais significativas do gênero existentes no Brasil. Conheça parte deste acervo. Texto de Vera Lima e fotos de Paulo Scheuenstuhl.

CARICATURAS DE RIAN PINTURAS SOBRE A FAMÍLIA REAL
Curiosas são as 26 caricaturas, pertencentes ao acervo do Museu, desenhadas por Nair de Teffé, esposa do Presidente Hermes da Fonseca. Conheça o trabalho da primeira caricaturista brasileira, que utilizava o peseudônimo de Rian
Esta exposição apresenta iconografia sobre a família real e imperial brasileira, pertecente ao acervo do Museu Histórico Nacional. Texto e fotos (Rômulo Fialdini), extraídos da obra “Museu Histórico Nacional”, editada pelo Banco Safra.

OBJETOS PESSOAIS COMUNICAÇÃO
O Museu Histórico Nacional possui objetos interessantes criados para servir às necessidades pessoais dos indivíduos, tais como proteção e higiene do corpo, adorno, hábitos e crenças pessoais. Entre as peças, artigos de toalete, de viagem, etc. Conheça um pouco mais deste acervo na Galeria Virtual, com texto e fotos de Rômulo Fialdini, extraídos da obra “Museu Histórico Nacional”, editada pelo Banco Safra.
Equipamentos usados para transmitir informações escritas, sonoras ou visuais aos seres humanos também integram o acervo do Museu Histórico Nacional, que já possui, inclusive, os modernos telefones celulares. Conheça alguns desses objetos. Fotos de Rômulo Fialdini, extraídos da obra “Museu Histórico Nacional”, editada pelo Banco Safra, e de Denize Pereira.

O RIO DE JANEIRO POR JUAN GUTIERREZ ARTE DO MARFIM
O Arquivo Histórico preserva uma importante coleção de 195 fotografias do espanhol Juan Gutierrez, que atuou no Rio de Janeiro no final do século XIX. Ele documentou a “Revolta da Armada” (1893/94), retratando as fortificações, os soldados e o armamento utilizado, sem, contudo, apresentar cenas do embate. Suas lentes captaram, ainda, vistas de vários bairros da antiga cidade do Rio de Janeiro, reproduzindo sua arquitetura e seu cotidiano. São estas fotos que agora reproduzimos em nossa Galeria Virtual.
A coleção de esculturas religiosas em marfim do Museu Histórico Nacional dada à quantidade de peças (572), qualidade artística das mesmas e excelente estado de conservação, é única no gênero, desconhecendo-se a existência de similar em qualquer outro grande museu do mundo. Já exposta em Nova York e na cidade do Porto, a coleção aguarda em reserva técnica o momento de integrar o circuito de exposições permanentes do Museu. Com texto de Lucila Morais Santos e fotos de Paulo Scheuenstuhl a Galeria Virtual disponibiliza suas principais peças.

INTERIORES RELÓGIOS – O TEMPO NÃO PARA
Vamos conhecer um pouco mais sobre o acervo do Museu Histórico Nacional pertencente à classe “Interiores”, que engloba objetos usados no interior ou em torno de edifícios, visando proporcionar conforto e prazer aos seus ocupantes. São peças de mobiliário, utensílios de cozinha e mesa, objetos de iluminação, de decoração.
No acervo do Museu Histórico nacional prevalecem os utensílios de mesa e mobiliário. A grande variedade e quantidade destas categorias ilustram o gosto da elite urbana brasileira durante o século XIX.
O Museu Histórico Nacional comemorou os 500 anos do Brasil e a passagem do milênio apresentando a exposição “O tempo não para”. Foram selecionados relógios de diferentes épocas e estilos: os de sol e os de corda, os de corda com ponteiros, os eletrônicos e a vanguarda na criação do designer gráfico Hans Donner, autor dos relógios que marcaram, em diferentes pontos do Brasil, a contagem regressiva para o dia 22 de abril, celebrando os 500 anos da chegada da esquadra de Pedro Álvares Cabral na costa brasileira.
Endereço e Horários Acesso
Endereço :
Praça Marechal Âncora – Próximo à Praça XV
20021-200 – Centro – Rio de Janeiro – RJ
Tel.: (0xx21) 25509220 / 25509224 E-Mail

Horários :
De 3- a 6- Feira – das 10h às 17:30 h
Fechado às 2- feiras
Sábados, Domingos e Feriados – das 14:00h às 18:00 h

Ingresso:
R$ 6,00 (seis reais)
Estão isentos de pagamento (mediante comprovação): crianças até cinco anos de idade; sócios do ICOM-International Council of Museum; funcionários do IPHAN e do IBRAM; alunos e professores das escolas públicas federais, estaduais e municipais; brasileiros maiores de 65 anos; guias de turismo e estudantes de museologia. Alunos agendados da rede particular de ensino e brasileiros entre 60 anos e 65 anos pagam a metade do valor. Aos domingos, a entrada é franca.

Referências :
1. Museu Histórico Nacional / 2. Aeroporto Santos Dumont / 3. Aterro do Flamengo / 4. Santa Casa / 5. Museu da Imagem e do Som / 6. Praça XV / 7. Restaurante Albamar / 8. Club da Aeronáutica / 9. Baía da GuanabaraServiço de áudio guia e multimídia com linguagem em libras

Com recursos do Ministério do Turismo, o Museu Histórico Nacional oferece serviço de áudio guia em três linguas (português, espanhol e inglês) e guia multimídia com linguagem em libras (Linguagem Brasileira de Sinais) para deficientes auditivos.
São 40 equipamentos de audio e dois especiais, com tela de TV para os deficientes auditivos. A duração do áudio guia em português é de 1 hora e 23 minutos. A versão em espanhol tem a duração de 1 hora e 11 minutos e a em inglês 1 hora e 5 minutos.
O serviço é disponibilizado ao visitante no valor de R$ 8,00 (oito reais).

Sobre maniamuseu

Maníaco por museus de todo mundo. Eles trazem a história, o futuro, o diferente e a cultura. Entretenimento e educação. Viaje em maniamuseu.
Esse post foi publicado em Arte Comunicação&Design, História & Arqueologia, Música, Moda Acessórios & Maquiagem, Museus do Brasil e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s